sexta-feira, janeiro 20, 2006

Ainda Acerca da Teoria da Conspiração

Lembrei-me de mais teorias da mesma conspiração. E volto aqui seguindo a mesma linha de pensamento - a de que quem tem telhados de vidro não deve atirar pedras.

Começo por falar da conspiração organizada pelos dirigentes do antigo regime, aquela que descreve pormenorizadamente que o Glorioso só é a maior equipa nacional de futebol devido a preciosas ajudas do Estado Novo. Acho linda, é mesmo a minha preferida!

Não preciso entrar em grandes detalhes. Todos conhcem os mitos e lendas que envolvem esta parte da conspiração ( o Calabotegate, a conversa do Eusébio ter sido proibido de ir jogar para Itália - ouvi dizer que por essa altura, devido a problemas internos, a federação italiana de futebol vetou a entrada de estrangeiros no campeonato italiano, mas vocês aí é que são os especialistas, por isso...), e todos sabem a a equipa do Glorioso dos anos sessenta ( segundo um grande amigo meu, foi também o melhor Benfica dos 60´s...) era uma treta.

Não, não era a quase totalidade da equipa das quinas, isso é falso. Simões, Coluna, Aguas, Torres, Costa Pereira e Germano (entre outros) eram jogadores mediocres, de poucos recursos -todos sabemos isso também, e venciam campeonatos (e já agora, Taças dos Campeões) porque o ponta direita do Benfica na altura, reforço de alto gabarito contratado ao Santacombadense, era o fabuloso Oliveira Salazar ( mais tarde, foi substituido no plantel pelo centralão Marcelo Caetano), que em parelha com o Pantera Negra, faziam a mais mortífera dupla de ataque que alguma vez pisou as relvas dos nossos estádios!

A juntar a isto, vem aquela conversa de que nós só nos valemos da história. Não conheço indivíduo, instituição ou país de estatuto globalmente afamado em que a sua grandeza não tenha como base um passado de alto nível. O que é curioso é que a conversa da história, no que diz respeito a 19 (ou 17, depende do caso...) anos sem ganhar campeonatos não serve, mas se for para justificar outros tantos ganhos, já se aplica. Tal como é valido falar de arbitragens para justificar títulos do Benfica, inclusive o do ano passado, mas o mesmo não é viável se o assunto for o ano do Jardel no Sportém e os mil penaltys fantasma, ou dos primeiros anos de arbitragens do afamado penta. Lá está, são falhas de memória... ou então a história é algo que se desenrola em universos paralelos e realidades alternativas, não sei bem...

Sempre será mais fácil acusar os outros de fanatismo e de clubite do que reconhecer as próprias falhas ( salvaguardo o Tripeirossos desta acusação, pois é mais coerente e imparcial do que todos os lagartos residentes neste blog). Eu cá gosto de bola, e gosto de ganhar. E sei que não vou ganhar sempre. E também sei que por vezes vou ganhar injustamente. Mas não justifico os maus momentos da minha equipa apontando o dedo ás arbitragens dos jogos dos meus rivais (falo de arbitragens sim, mas falo das do meu quintal), nem tento desviar atenções especulando sobre assuntos extra futebol (no relvado). Isso é atitude de loser.

Bom fds.

6 comentários:

Tripeirossos disse...

O Benfica dos anos 60, pode ser comparado ao Porto de Mourinho, jogava bem (2º consta, é o que dizem, ganhou duas taças dos campeões e dava meia equipa à selecção).
O Porto do Mourinho, ganhou quase tudo o que havia para ganhar, acho que não estou a ser fanático quando digo que jogava bem e também deu meia equipa à selecção que chegou às meias finas do Euro 2004.
Obrigado caro Superminizinha por ver que sou imparcial, à que saber ver as coisas, e faz-se por isso...

Miguel disse...

Primeiro, que eu saiba, lá por teres uma boa equipe em parte dos anos 60( e que concerteza ganhou campeonatos com todo o merito), não explica 40 anos, sim 40, em que o campeonatao era sempre distribuido entre o teu clube e o sporting ..
em segundo qualquer um vê que este ano coisas importantes se passam nos bastidores, entre o teu clube, a APAF e mais 3 ou 4 clubes.
Por isso essa conversa de anjinho e de justiça não pega a ninguém.
E afinal se deixas comentar os teus artigos não venhas depois criticar aqueles que deixam a sua opinião.

Bom fds.

Guitarrista disse...

Mais palavras para quê? Quem fala assim, não deixa nada para dizer.

Boa comparação, caro Tripeiro, boa comparação.

Superminizinha disse...

E ele continua, só me saem duques...

1 - não foi em parte dos anos 60, meu imbecil. Foi nos anos 60 e 70. A tua equipa de bairro só começou a piar quando a dupla parvalhão da costa - jose mnaria peidoto assumiu o poder ( la pro fim dos 70, caso nao saibas).

2 - com um presidente implicado directamente no apito dourado e nos grandes roubos do futebol portugues, versoes anos 80 e 90, ta pra nascer o tripeiro que me possa vir falar de jogadas de bastidores. Se o fizer, ou é hipocrita ou é totalmente desprovido de cerebro.

3- anjinho é a tua avó. Lá que vocês sejam uns merditas de bairro pequeno com eterna mania da perseguição, que tiveram que dar inicio a uma guerra norte/sul para tentar ser alguem, o problema é teu.

Eu sei bem o que penso e o que escrevo, e tu não me conheces, nem conheces ninguem aqui, para vir por em causa o que aqui esta escrito por quem quer que seja. Não julgues os outros pelas tuas acções- Nem todas as pessoas são hipocritas e falsas, mesmo quando assunto é futebol. Cresce e aparece.

4- deixo comentar porque acredito que até os merdas como tu têm direito a ter uma opinião, nem que sirva apenas para alguem se rir dela.

E tendo em conta que eu é que mando neste circo, e que nem eu nem ninguem daqui te convidou para vir até cá, posso ( continuarei a faze-lo) criticar o que quer que me apeteça. Se me chateares muito a mona, deixo de responder e limito-me a apaga-te os comentários - não tenho tempo para andar em tricas com miudos.

Bem haja, volte sempre.

Miguel disse...

Sim senhor..Está à vista onde se encontra o mau caracter, a falta de personalidade e a falta de respeito..enfim..o espirito mais fraco.
Ja vi que não tens nivel para que se possa debater aqui alguma coisa de jeito.

Superminizinha disse...

O espaço para o debate existe aqui... mas entre os residentes. Já te tentei explicar que não tenho que te dar qualquer tipo de satisfação, nem sequer tenho que me dar ao trabalho de entrar em bate-boca contigo - coisa que já fiz vezes demais nestes últimos dias, mas tudo tem o seu limite, inclusive a minha paciencia. E caso AINDA não tenhas entendido, não és bem-vindo. Esta é mesmo a última vez que te respondo...