sexta-feira, novembro 23, 2007

Globalização da Standartização

Começou há minutos a 1ª meia-final do Euro-2007 de Futsal.
.
Dos 10 jogadores que iniciaram o encontro, 7 têm origem brasileira.

2 comentários:

Francisco disse...

Ainda bem! Conseguimos o 4º, nada mau. Estão todos de parabens embora acredite que pudéssemos ter ido mais longe não fosse alguma desconcentração na hora dos H. Mas vá, grande selecção a nossa!

Edson Arantes do Nascimento disse...

Ora bem, já vi que andamos na senda das postas extra-futebol.

Neste caso, até me parece que a questão está mal colocada.

'Russos' à parte (porque, pronto, são daquelas 'naturalizações' sob o registo do 'interesse nacional' e do 'orgulho patriótico', normalmente em forma de medalha e hino e choradeira, Obikwelu style), os italianos são de 'origem'... italiana! (e não brasileira, de onde são 'naturais', tendo raízes familiares, algumas muito muito próximas em Itália e daí a 'nacionalidade').

O que me parece mais interessante é que estes pormenores têm vindo a ridicularizar uma (ou várias) ideia de nação ou de pátria - afinal, o que é a nossa 'origem'? E somos 'naturais' de onde?

Há países onde o que vale é o 'sangue', ou seja, a descendência; noutros, o critério maior é a 'terra', ou seja, nasces 'aqui', 'aqui pertences' (critérios de permanência e ajuntamento familiar à parte).

E eu pergunto - é necessário ser 'descendente de' ou ter 'nascido em' para ser chinês ou americano ou italiano?

Se assim for, então isto dos países é apenas uma resma de papéis passados.

(Que é o que sempre foi, na realidade, mas isto já é a minha opinião. E por isso a questão dos 'naturalizados' não se põe, até porque possuem as tais 'resmas de papéis passados' e por isso usufruem dos mesmo direitos e deveres dos outros 'patrícios' todos. Não concordam, mudem a lei. É fácil.)